A inadimplência na locação de imóveis do Rio de Janeiro está em alta nos últimos anos, é o que confirma o estudo realizado pela Estasa, uma das maiores administradoras do estado, a Estasa, e da Associação Brasileira das Administradoras de Imóveis (Abadi).

Nos últimos 3 anos, a taxa de débito passou de uma média de 5% para 12%, ocasionando um aumento da taxa de devedores de 7%.

A inadimplência na locação de imóveis teve como causa principalmente a crise econômica, mais acentuada ainda no estado do Rio de Janeiro, o que acarretou em uma série de falta de salários e demissões, e consequentemente, desemprego.

Em matéria feita pelo jornal ‘O Globo’, o diretor executivo da Estasa, Luiz Fernando Barreto, cita em sua entrevista, dois motivos em especial, que contribuíram com a inadimplência na locação de imóveis:

  • As multas e juros por atrasos são pequenas, quando comparadas às praticadas em outras obrigações, como o cartão de crédito;
  • Mesmo em dívidas com o condomínio, o inquilino continua pode continuar circulando por áreas comuns do prédio, usufruindo da infraestrutura no local, sem proibições.

Além disso, Barreto acrescenta que, a inadimplência na locação de imóveis é mais comum em condomínios maiores, já que dessa maneira, as relações entre os vizinhos tendem a ser mais impessoais. Ao contrário dos condomínios menores, em que, por serem menos apartamentos, as pessoas se conhecem, e os atrasos no pagamento causam certo constrangimento ao devedor.


Inadimplência na locação de imóveis pesa no bolso de todos os condôminos

Um condomínio precisa sempre passar por manutenções para garantir que seus condôminos usufruam de sua infraestrutura sem problemas.

A principal fonte de renda dos condomínios para essas manutenções é a própria taxa de aluguel paga pelos moradores. Portanto, se alguém não paga, falta dinheiro.

Quando um inquilino atrasa com suas obrigações, são os outros vizinhos que devem cobrir o “buraco” no orçamento do condomínio causado pelo devedor. Isso é, são geradas cotas extras para o cobrir o saldo não pago até que o valor seja inteiramente recuperado, e isso pode acabar gerando novos inadimplentes.

Saiba mais em matéria completa feita pelo jornal ‘O Globo’ clicando aqui


Inadimplência gera grande dificuldade em tirar locatário do imóvel

A dificuldade de tirar o locatário do imóvel após ele atrasar seus vencimentos é grande, já que não é permitido proibir a circulação do credor às áreas comuns do condomínio, e nem proibi-lo de adentrar ao imóvel.

Assim como, é proibido privá-lo de utilizar o elevador, por exemplo, ou interromper o seu fornecimento de água e luz.

Segundo diversos exemplos que acompanhamos em mercado, um processo de despejo de uma locação de imóvel pode levar até nove meses. Além disso após o processo é muito dificil reaver os débitos em aberto dos aluguéis mensais e pagamentos do condomínio.


Como o locador pode se proteger contra inadimplentes?

A inadimplência na locação de imóveis pode ser, por vezes, resolvida apenas com conversas
A inadimplência na locação de imóveis pode ser, por vezes, resolvida apenas com conversas

Possivelmente, o maior problema no qual o locatário pode passar em relação a seu imóvel alugado é a inadimplência, pois muitas vezes, a renda obtida com as locações compõe boa parte da renda do locatário.

Porém, é possível defender-se, ou ao menos, minimizar os problemas causados pelos atrasos nos pagamentos do aluguel. Confira:

  • Proteger-se às custas do Contrato de Locação é fundamental, já que nele consta toda a relação entre o proprietário do imóvel e o inquilino. Nele, é importante constar de maneira clara, como será a relação entre as partes envolvidas e como serão resolvidas eventuais discordâncias. Em reação ao pagamento do imóvel, no contrato deve haver cláusulas especificando todos os detalhes de pagamento do aluguel, e o cálculo das multas e correções em caso de atrasos.
  • As garantias locatárias servem para garantir o ressarcimento dos valores em caso de inadimplência. A mais popular entre elas ainda é a fiança, onde o inquilino deve apresentar um fiador em condições para arcar com os custos do aluguel em seu lugar.
  • Negocie. Uma conversa com o inquilino inadimplente poderá sempre ser a melhor opção. Primeiramente, tente descobrir o motivo do não pagamento dos vencimentos. Situações sensíveis como doenças ou perda de emprego naturalmente desestabilizam temporariamente as finanças do locador. Se possível, converse sobre a previsão do inquilino de normalizar a situação e avalie se é possível negociar os prazos.
  • Caso não haja previsão de débito e o prejuízo for grande, avalie uma ação judicial. É possível protestar o título de cobrança no Cartório de Protestos, determinando o pagamento imediato da dívida. Além disso, é possível também solicitar a penhora de bens do devedor.

Não quer, definitivamente, ter problemas com inadimplência? Alugue por Temporada!

O aluguel por temporada não possui quaisquer chances de haver inadimplência. É simples, pois o locatário só entra se após se pagar, 100% da locação, previamente, o que é permitido pela Lei do Inquilinato, e que acaba com qualquer possibilidade de inadimplência com o imóvel.

Além disso, segundo a Lei do Inquilinato, o despejo do inquilino em caso de não pagamento é descomplicado, porque o imóvel em questão não trata-se de uma moradia definitiva.

Com mais de 30.000 locações, a GoHouse, nunca precisou acionar a justiça para tirar um locatário do imóvel.

Quer alugar com segurança e profissionalismo? Conte com a GoHouse! Clique aqui e saiba sobre a agência de aluguéis por temporada quem hospedou mais de 100.000 pessoas nos últimos 5 anos!