A Google está se posicionando como o único site que você precisa para qualquer coisa; inclusive, para encontrar um lugar para hospedagem.

Há mais de 7 anos, a Google apresentou o Google Hotel Finder, que hoje é conhecido como Google Hotel Ads; que funciona como uma espécie de Google Ads, apenas para hospedagens.

Os Hotel Ads têm potencial para serem bem influentes nas conversões dos hotéis. Ao invés de pagar ao Google por cliques, e torcer para que esses cliquem de fato, se tornem reservas para que se justifique o investimento feito; os hotéis podem pagar por esses anúncios baseados em uma porcentagem do valor obtido com a reserva.

A experiência do usuário obtida, ao mostrar várias plataformas de reserva, não era o objetivo da Google. Segundo a própria, o Google desejava ser apenas um “comparador de preços”, mas sim, o buscador principal e o fator de decisão do viajante.

Dessa forma, em 2016, a Google lançou o seu Book on Google; que é um programa que permite um viajante a reservar um hotel sem sequer deixar a página do Google. Isso significa que o viajante não precisa acessar um site “separado” para concluir sua reserva.

Avanços do Google em hospedagem por temporada

Disponibilizar hospedagens para aluguel de temporada diretamente no Google não é algo tão simples de se fazer. Requer um grande trabalho técnico para se enviar preços precisos de quarto de hotel para determinadas datas usadas nos anúncios.

Além disso, o Google prefere trabalhar com fontes extremamente grandes de dados em grandes regiões geográficas.

Isso significa que; a única maneira na qual qualquer pessoa conseguisse participar do Google Hotel Ads, pelo menos no início do programa, era fazer isso por meio de um OTA, como Expedia ou Booking.com.

Mesmo que uma agência de temporada tivesse utilizado uma OTA, as diferenças entre os imóveis de temporada e hotéis eram tão grandes que a participação desses imóveis de férias no Google Hotel Ads não era viável.

Por um lado, um hotel tem vários quartos disponíveis em uma localização. Os anúncios de hotel do Google não foram projetados para ter apenas uma propriedade reservada por local. Por outro lado, as taxas de aluguéis de temporada, muitas vezes eram definidas por semana e não diariamente. Isso tornou a precificação um verdadeiro desafio.


Hospedagens no Google atualmente

Atualmente, o Google tem sido extremamente claro que está interessado em disponibilizar imóveis de temporada por meio da plataforma de anúncios de hotéis do Google.

Na verdade, o Google disponibilizou aluguéis de temporada como opções reserváveis ​​em Paris e Roma há mais de um ano.

Como o Google gosta de fazer, isso foi feito como um experimento. Se você acessar o Google e pesquisar por “aluguéis de temporada em Paris”, encontrará imóveis individuais com preços por noite, que você poderá reservar.

No entanto, a experiência não é tão boa. Quando você clica em “reservar”, o site mostra várias OTAs que você pode optar, com os preços, exatamente como são exibidas para hotéis.

Se você clicar no website de uma propriedade alugada, na maioria dos casos, será direcionado ao site principal da empresa, onde deverá pesquisar novamente a unidade que você já havia escolhido no mapa.

Desde o lançamento dos imóveis de temporada reserváveis na Europa, o Google vem trabalhando ativamente em uma maneira nova e melhor de reservar aluguéis de temporada também nos EUA.

Enquanto este programa ainda está em forma beta, podemos dizer algumas coisas com certeza: o Google se concentrará nas coisas que tornam a experiência de reserva do viajante a mais fácil e rápida possível.

Isso significa que o Google provavelmente não obterá dados de propriedade do seu website. Em vez disso, o Google se conectará a uma grande fonte de dados, como um OTA, um gerente de canal ou, possivelmente, uma empresa de locação de temporada multinacional.

Como acontece com todas as coisas do Google, as empresas que podem oferecer aos viajantes uma experiência de reserva fácil, provavelmente se darão bem com esse novo tipo de anúncio do Google.

Fonte: VRMintel


Gostou dessa matéria? Confira outras novidades sobre o aluguel por temporada no blog da GoHouse!