Alugar ou comprar? A tendência das próximas gerações é de que pessoas passem a alugar bens, e não mais comprá-los.

Tudo se compartilha atualmente: filmes, apartamentos de temporada, músicas e carros. Em tempos de Netflix, Airbnb, Spotify e Uber; consumir um produto sem ter sua propriedade é uma das características de comportamento que mais refletem os humores do século XXI.

Não existe problema algum em optar por um ou outro, mas certamente uma dessas decisões trará uma satisfação muito maior para o seu estilo de vida.


Locação: uma tendência no mercado imobiliário

Com desapego material e foco no planejamento, as novas gerações não se prendem à missão de adquirir um imóvel próprio em um momento específico da vida. Essa mudança de comportamento afeta totalmente as tendências de consumo no mercado imobiliário, trazendo à tona a preferência pelos serviços de locação.

De 2010 para cá, o índice de famílias que procuram por apartamentos e/ou casas alugadas só cresceu. Isso se deve a vários fatores, dentre eles, em regiões metropolitanas, o custo do transporte fez com que as pessoas buscassem moradia perto dos locais de trabalho ou estudo, o que vem tornando a diferença de busca entre alugar ou comprar cada vez com maior disparidade.

Além disso, as casas para locação começaram a apresentar melhores condições em termos de infraestrutura: por exemplo, a Lei do Inquilinato foi melhorada, proporcionando menos risco para o locador, dentre outros fatores.

Enfim, diversos fatores socioeconômicos contribuíram para a evolução do mercado de aluguel no Brasil.


Alugar para economizar

A locação de imóveis nunca foi tão popular. Parte do aumento dessa busca ocorre por causa da recessão econômica, que tornou as condições de compra mais difíceis e limitadas. Assim, o perfil dos consumidores e sua relação com o dinheiro é o principal motivo que levou à valorização crescente do aluguel.

Para as novas gerações, alugar um empreendimento residencial ou comercial é uma forma de poupar recursos. Nessa economia, entram tanto as dívidas com as parcelas de um (possível) financiamento, quanto os custos necessários para manter um imóvel.

Ou seja: enquanto aluga um espaço, a pessoa pode administrar o próprio orçamento sem se prender a um local específico de moradia ou trabalho, o que torna a decisão de alugar ou comprar um espaço muito mais fácil.

Segundo especialistas, é possível encontrar, no aluguel, alternativas que unam economia e qualidade de vida. Para eles, na busca desesperada pela casa própria, o bem-estar pode ser deixado de lado. Por isso, é preciso ponderar antes de comprar um imóvel, muitas vezes em regiões distantes, e se prender a prestações que podem desequilibrar seu orçamento.


Planejamento financeiro: alugar ou comprar?

A nova geração está mais preocupada com a poupança de recursos e procura investir grandes valores somente após um bom planejamento financeiro. Com a flexibilidade proporcionada pelo aluguel, as pessoas podem mudar de emprego ou viver novas experiências sem grandes restrições.

Enquanto não criam raízes em uma determinada cidade, não fazem planos de constituir família ou não alcançam a estabilidade financeira desejada, essas mesmas pessoas buscam no aluguel a segurança necessária para planejar investimentos sem prejudicar o bolso.


Maior personalização de imóveis

Você já deve ter percebido que a personalização de imóveis é uma tendência muito valorizada até mesmo fora do Brasil, isso reflete no conteúdo das revistas especializadas e nos programas de televisão, que mostram que pequenas reformas e adaptações podem mudar completamente a funcionalidade e o valor de uma propriedade.

Sendo assim, não é difícil compreender que os corretores e imobiliárias que desejam locar as casas e apartamentos da sua carteira precisam deixar essas unidades em sintonia com os usos e costumes que estão em voga na sociedade atual, podendo apresentar imóveis bastante diferentes, dependendo do local e da geração dos locadores.


Busca por locação por temporada

O estresse da rotina comum das grandes cidades também faz com que boa parte das pessoas busque por períodos bastante agradáveis em suas férias.

Por isso mesmo, a busca por locação de temporada deve crescer ainda mais em 2019, especialmente por esse ser um momento de recuperação acelerada em nossa economia.

As casas de praia para aluguel, por exemplo, estão atraindo investimentos, visto que os proprietários, corretores autônomos e imobiliárias estão apostando na melhoria das suas características e adotando melhores estratégias de marketing. Algumas cidades turísticas brasileiras já estão com um imenso número de reservas.

A economia compartilhada também reforça esse fenômeno e atua em consonância com o propósito de aproveitar ao máximo cada unidade, mesmo pagando menos, além de oferecer benefícios ambientais e comunitários por meio da otimização de recursos. Com a crescente aceitação deste tipo de acomodação, esse modelo aumentará bastante.


Gostou dessa matéria? Confira mais sobre o aluguel por temporada no blog da GoHouse!